Faculdade de Arquitetura - Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Arquitetura Bruno Oliveira, Marco Maron

Local Juiz de Fora MG

Área 4.390 m²

Projeto 2018


Memorial

 

UMA PRAÇA PARA O PARQUE!
 

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO - O PROJETO E A ÁREA VERDE.

Essa proposta foi pensada levando se em consideração a importância que a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo possui para Universidade Federal de Juiz de Fora, para seus alunos e docentes.

Como premissa partiu da situação existente: 

 

Um terreno que anteriormente possuía grande declividade e foi planificado, em consequência desse movimento de terra criou se um grande talude na lateral oeste e norte. Ao sudoeste do terreno possui uma zona de mata nativa interessante e de grande importância para o projeto. 

 

Levando se em consideração o cenário atual a ideia do projeto é criar uma série de movimentos de terra de forma a se estabelecer espaços de qualidade explorando essas condicionantes. 

 

No percurso de acesso a pessoa se depara com um grande calçadão de acesso. Logo a sua esqueda avista o bloco A, o elemento surpresa. Uma caixa envelopada branca com um elemento semi translucido. Ao acessar o bloco se depara com um grande espaço que se revela. A praça!

 

Com o projeto voltado para a área verde, logo cria uma praça particular e central, ao nível térreo. Torna se o elemento principal e de conexão entre todo o conjunto implantado. Aí estão todos os espaços comuns e de convivência e de onde é possivel ter uma vista panorâmica de todo o campus. 

 

 

 

 

 

 

 

Ainda ao nível térreo foram criados vários espaços que estão conectados em níveis distintos, que moldam os espaços de acordo com o uso de cada uma das atividades que serão desenvolvidas. Espaços de convivência, Auditório reversível com plateia hora interna, hora externa, um espaço contemplativo dentro de um dos espelhos d’água, simbólico e reservado.

O programa de necessidades está distribuído entre dois blocos distintos. Cada uma possui térreo, mais 2 pavimentos tipo e um embasamento com um subsolo e um nível semienterrado. 

    (1)    Um dos blocos, o bloco de aceso, mais claro, é onde estão localizadas as atividades “evasivas”, abertas, salas de aula e ateliês de projeto. O bloco possibilita boa iluminação natural e cria uma inter-relação de quem está dentro do bloco e que está fora dele. Permite também uma vista agradável e privilegiada de parte do campus universitário, considerando que o terreno está em um dos pontos mais altos do relevo geográfico do campus e ao mesmo tempo está voltado para a área verde, uma mata com espécies nativas.
    (2)    O segundo bloco, um monolito de concreto, mais fechado onde estarão abrigadas as atividades “imersivas”. Laboratórios, maquetes e salas de ensaios.
    (3)    No embasamento no nível semienterra encontram-se as atividades administrativas e no subsolo do bloco 1 atividades de serviços, apoio e manutenção. 

 

FLUXOS 
O acesso principal se dá pelo bloco A vindo do estacionamento existente com a criação de uma área de embarque e desembarque. Após adentrar o bloco A é possível visualizar uma grande cobertura translucida e os sistema de circulação vertical e horizontal por níveis. A partir desse ponto é possível acessar e circular por todo o complexo. Conexões cobertas e descobertas estão todos interligados de forma clara. Também pelo estacionamento existente foi previsto uma acesso de carga de descarga direto para o auditório.

SISTEMA CONSTRUTIVO
O sistema estrutural adotado foi o sistema pré-moldado de concreto armado e trechos em estrutura de aço o que possibilidade o alcance de grande vãos. 
O sistema permite produção das peças na própria fábrica além de uma alta qualidade na construção. Também proporciona uma obra sem desperdícios, um canteiro de obras limpo e agilidade nas obras de montagem.