Nova Biblioteca da Faculdade de Direita da USP

autor Fabiano José Arcadio Sobreira - MGS

colaboradores Bruno Oliveira e Paulo Victor Borges Ribeiro
tipo Concurso nacional de arquitetura
local
Largo São Francisco , Centro de São Paulo
área 4000 m²

projeto 2013

pagina oficial com todos os premiados:                         
http://iabsp.org.br/?concursos=nova-biblioteca

Resumo:

UMA NOVA BIBLIOTECA PARA UM NOVO CENTRO
A Nova Biblioteca da Faculdade de Direito da USP integrará a rede de importantes espaços e equipamentos públicos que qualificam a área central de São Paulo. O Viaduto do Chá, a Praça do Patriarca, a Catedral da Sé, entre outros espaços de interesse coletivo situados no entorno imediato, são pontos nodais e de articulação que se integram à rede de equipamentos, ruas de pedestres e praças que compõem o cenário urbano do centro. É nesse contexto que será implantada a Nova Biblioteca: como espaço público de caráter educativo e cultural, integrado e aberto à vitalidade urbana da área central.

ESTRATÉGIAS DE OCUPAÇÃO
Por se tratar de espaço de interesse educativo e cultural na área central de São Paulo, a Nova Biblioteca se abrirá para a rua como uma extensão do passeio público, abrindo seu acervo e expondo sua programação ao uso comunitário, seguindo as diretrizes da Operação Urbana Centro e os princípios da Faculdade de Direito da USP.

 

A Nova Biblioteca e a Operação Urbana Centro


Diretrizes Urbanísticas
I. A abertura de praças e de passagens para pedestres no interior das quadras II. O estímulo ao remembramento de lotes e à interligação de quadras mediante o uso dos espaços aéreo e subterrâneo dos logradouros públicos Seguindo as diretrizes urbanísticas da Operação Urbana Centro e o espírito cultural e educativo da Nova Biblioteca, a ocupação do pavimento térreo irá garantir o máximo de permeabilidade e flexibilidade, buscando atender não apenas as demandas do presente, mas as possibilidades futuras de articulação com a quadra e com o entorno (inclusive a expansão das rede de ruas de pedestres), sem prejuízo à segurança do acervo e o conforto dos usuários da biblioteca.


Além da articulação com o espaço público no pavimento térreo, a Nova Biblioteca terá conexão subterrânea com a Biblioteca Central (Edifício Histórico), por meio de passagem a ser executada sob a Rua Senador Feijó, cruzando a R. Cristóvão Colombo. A permeabilidade do térreo de um extremo ao outro do edifício permitirá a eventual articulação com a Rua Riachuelo, no caso de novas desapropriações ou do redesenho futuro da quadra, em decorrência da Operação Urbana Centro.

VAZIO CENTRAL E ILUMINAÇÃO NATURAL
O vazio central será mantido e será iluminado por cobertura em vidro estruturado em perfis de aço. Além da cobertura em vidro, os pisos do nono e do primeiro pavimentos receberão vidros de segurança, a fim de permitir ao mesmo tempo a passagem de iluminação e o isolamento acústico entre os pavimentos, preservando os espaços de leitura e acervo do ruído externo. Além do vazio central, a iluminação natural foi maximizada nas fachadas norte e sul, cuja insolação será controlada por meio de brises de alumínio.

 

ARTICULAÇÃO ENTRE PAVIMENTOS
A fim de possibilitar uma integração mais direta e agradável entre os pavimentos de acervo e leitura, serão instaladas escadas e passarelas na face leste do vazio central, que se estende do segundo ao novo pavimentos.